Notas Musicais

Revelarei: pode não parecer, mas eu gosto de muito tipo de música.
Eu não sei, mas acho que quando os outros me olham, devem pensar que eu me limito a ouvir só um tipo de som: emo. Como eu odeio isso. E mais uma vez, somos julgados pelas roupas (olha que só uso all star. nem adoto mais a franja e muito menos ando todo coloridinha por aí). É isso.
Mas pelo contrário, dentro de mim, tenho um pouco de cada coisa.
Eu sempre falo que, quando quero ''espantar os demônios'', ouço rock pauleira mesmo, daqueles que gritam até nos deixar surdos. Isso não é emo.
Quando tenho a crise do brega, eu escuto aqueles sertanejos bem lementosos, tipo Zezé Di Camargo e Luciano, Eduardo Costa e tal. Isso não é emo.
Às vezes tenho vontade involuntária de escutar MPB e Samba. Eu gosto. Muito até. Inclusive tenho um ''dueto'' com meu pai. É uma do Jorge Aragão, que faz umas letras e melodias de mestre. Isso não é emo.
Na maioria das vezes, quando estou no clima ''família'', ouço coisas do tipo Victor e Léo, Fernando e Sorocaba, Zé Henrique e Gabriel(que inclusive cantam MUITO bem), Cezar Menotti e Fabiano. Isso não é emo.
Nas festas dos amigos dos meus pais, de trinta, quarenta anos, eu danço forró. É ridículo(danço mal pra caramba), mas eu danço e canto, inclusive. Isso não é emo.
Mas talvez agora vem a ''pior'' parte pra você ver a minha realidade. Quando estou sozinha em casa, coloco o DVD da Banda Calypso e danço ''Cavalo Manco''. É ainda mais ridículo do que o forró. Isso não é emo.
Mas há uma coisa que eu realmente não suporto: Funk. Sim, realmente não é a minha praia. Pra não dizer que eu não curto, gosto e sei as coreografias dos funks bem antigos, tipo Eguinha pocotó, Elas tão descontroladas, Bonde do tigrão, Vai Lacraia e Dança da Motinha. Esse é o meu funk. Créu e Gaiola Das Popozudas é o fim pra mim. Isso não é emo.

Bem, eu fiz todo esse discurso pra mostrar que realmente eu não sou o que você pensa que eu sou. É estranho me imaginar descendo até o chão com a Lacraia, mas essa é a verdade.
Não preciso ser exclusivamente ''DO ROCK''. Prefiro dizer que sou ''DA MÚSICA''.

E só pra terminar: escute o que quiser e se vista como quiser. A música é totalmente diferente da roupa. Pra escutar rock, eu não preciso me vestir de preto todo dia e falar que satã é o cara!
A graça da música é juntar e formar tribos e fazer parcerias inesperadas.

Sou inexplicávelmente eclética.

Eclética= uma palavra muito, muito estranha. O.O

Bgs :)

E a história continua...

Caraca, eu pensei que tudo aquilo tinha acabado, mas vamos, então:

que birosca, eu já não disse que precisava dizer tudo aquilo, por causa de um ataque sincero de sinceridade?

bem, não sei porque, mas eu pedi desculpa. pensei que tudo estivesse certo.(tá, eu sei que depois disso a amizade nunca seria como antes... ou seria? ah! sei lá)

mas o ser humano cujo dito leu a birosca anterior a essa. e... ferrou!
mais uma vez, uma simples frase ''cagou'' tudo. Dessa vez foi a parte: ''se é que aquilo era amizade''.

e mais uma vez, de novo, eu digo: ''foi tudo um ataque real de sinceridade''.

VOCÊS SABEM QUE EU TENHO PROBLEMAS MENTAIS, NÃO SABEM?

bem, como eu sei que de nada vai adiantar eu falar, explicar, me desculpar, cagar e mijar, vou encerrar tudo: EU DESISTO! yeaaaaah

como diz o meu amigo Mih: ''When we need, FRIEND is an simple and useless word''.

today, that's it.

e a vida continua...

♪ Playing God - Paramore