Viver sonhando, quem me dera!

Finda 2010 e eu vou fazer um resumo do que aconteceu este ano. Nada extravagante.

Janeiro:
Que eu me lembre, não aconteceu muita interessante neste mês.
Fevereiro:
Mês em que o São Francisco de Assis invadiu o Kuntz. Começaram as aulas e eu achei todas aquelas pessoas MUITO estranhas. A minha salvação foi a fofa da Izabel, que me livrou da mesmice.
Março:
Fui ficando mais próximas das pessoas novas da escola e tive um dos dias mais doidos da minha vida (aquela tarde no Boqueirão foi histórica). Finalmente conheci a fundo os meus antigos colegas, e tive a infeliz constatação de que todos mudam, e mudam muito! Minha memória não está tão boa pra lembrar de tudo o que aconteceu.
Abril:
Fiz 15 anos. Sem festas (odeio esse tipo de comemoração). Ao invés de festa, fiz um post aqui neste blog que rendeu muita polêmica. De presente, fui ao melhor show da Fresno ainda visto até então.
Maio:
O mês em que eu fiquei mais sentimental e que eu senti mais saudade das minhas ''irmãs''. Esse é um mês em que nunca acontece nada interessante, então, vou pular para o próximo.
Junho:
Pode passar pro próximo de novo?
Julho:
Depois de sete meses, vi a minha linda Talita, e juntas fomos ao show do HEVO84 (que inclusive eu acho que foi o nosso último, já que a banda está por um triz). Passamos um fim de semana juntas e foi bom pra matar as saudades. O aniversário da minha priminha Maria foi muito fofinho e ela está a cada dia mais linda. E o ''Revanche'' deu uma mudada muito louca na minha cabeça.
Agosto:
Cara, minha memória está péssima mesmo!
Setembro:
Eu sinceramente não me recordo de nada especial, setembro é uma palavra legal!
Outubro:
O show mais incrível da Fresno, o mais ''punk'', o que me deixou mais acabada! E fui com a companhia da minha irmã preta Janis, que depois de um tempo arrumou um par e me abandonou (hehe brincadeira viu macaca?). Em outubro também conheci a Ju e o Max(), que são ótimas pessoas. Mês ótimo.
Novembro:
Recebi a notícia de que ia sair de Praia Grande, que foi um grande alívio. Só fiquei um pouco triste porque vou ver meus AMIGOS bem menos, mas o resto é fichinha.
Dezembro:
Finalmente o último mês de 2010, que não foi lá essas coisas. Saí do Kuntz e fui ''de volta pra minha terra''. Tive a CERTEZA de que volto de vez pra Sampa. E eu acho que é isso. Ah! E eu termino o ano 8,5 kg mais leve!
Para 2011:
Estudar muito, fazer curso, academia, mais uma mudança e muita gente nova.


Um ano novo cheio de realizações pra vocês, COM MUITO AMOR, saúde, e música.

E até 2011!!

http://twitter.com/beeshopana

And maybe it's time to change

Chocolate fechado.
Bolo estragando.
Refrigerante encostado na geladeira.
Frutas sumindo.
Alface evaporando.
Remédio se esgotando.
Suor, suor, suor.

''E eis que de repente ela resolve então, mudar.'' LITERALMENTE

Cansei de me render aos prazeres incontroláveis.


BREVE NOVIDADES E NOVO BLOG.

Título do post, música ''Maybe'', da banda Sick Puppies.

Ideais e esperanças.

Foram dias bons.
Passar um tempo sem as comodidades da vida moderna é como um banho de cachoeira que lava a alma.
E mesmo com um tempo passado, eu continuo com os mesmos sonhos, e agora com os meus ideais ainda mais aguçados. Eu quero poder ser diferente. Eu quero poder ser uma das poucas na família a não se preocupar em roubar o chuchu da árvore da vizinha pra comer. Eu quero ter um bom futuro, e isso só depende de mim.
E já que isso VAI ter que acontecer, tenho que aproveitar tudo enquanto eu ainda posso.
E pensando em ideais, o meu primeiro é o ideal de saúde (o que é diferente de ideal de beleza). Enfim, vou ter um ótimo motivo pra gora também ficar atualizando o Violets Violents. Para os que ainda não sabem, o vulgo VV é o meu blog onde eu conto a minha luta pra perder peso. Se você acessar http://violentsviolets.blogspot.com/ não vai encontrar nenhuma postagem. Acontece que eu tinha esse blog com muitas postagens, mas um dia me deu a louca e eu o apaguei. Me arrependi depois e o refiz. E se mesmo assim você ainda não entendeu muito bem a razão de eu ter motivos pra postar no VV, é que eu irei ao médico, e então agora ou vai, ou racha.

Falando sobre amizades, eu quero agradecer do fundo do meu coração a todos os meus amigos de verdade que vêm me mandando mensagens que me fazem muito bem. Meus TRUE FRIENDS que não cobram a minha ausência, mas que agradecem todas as vezes em que eu estive presente com eles. Portanto, eu quero de verdade, falar que vocês são muito importantes na minha vida, e que eu cresci e cresço a cada dia mais com a experiência vivida com vocês. Eu posso dizer que sou quase que totalmente completa, já que tenho certeza das minhas verdadeiras amizades, uma família que sempre me apoia em tudo o que eu faço e tenho uma cabeça boa, sem ''besteiróis''.

E eu ainda tenho esperanças sobre o meu amor platônico <3

Um abraço!

Sobre tampas de garrafa.

Boa noite. Se o meu relógio está certo, faltam dois minutos pra 1:00h do dia 27 de Setembro.
Estava minha mente tomando um banho agora há pouco e pensando na hora de ir tomar o remédio. Até que ela foi, e daí veio a grande questão: PORQUE AS TAMPAS DE GARRAFAS PET FAZEM BARULHOS DIFERENTES?
Sim, foi isso que me veio a cabeça! Se eu vou tomar água, a tampinha faz um barulhinho na hora de abrir e o mesmo barulhinho na hora de fechar. Mas se, por exemplo eu vou tomar uma H2Oh! a tampinha emite um som totalmente diferente.
Eu não tenho mania de assaltar a geladeira pra comer, mas sim pra beber, e todo mundo sempre sabe o que eu estou bebendo por causa do barulho da tampa da garrafa.
Mas assim... Isso é neura minha ou realmente há uma razão científica pra isso?

obs: o mesmo acontece com as tampas de Coca, Pepsi e afins...

Ciclos intermináveis e indestrutíveis

Há certas coisas que nunca têm fim. São os tais infindáveis, ou intermináveis, como preferir. E pra mim, tudo isso é muito bom.
Durante a vida, tudo é feito de ciclos. O ciclo da vida, o ciclo da água, e até os ciclos menstruais. É tudo inevitável, todos nós participamos de algum ciclo, mesmo que seja sem querer.
Mas pra mim, o ciclo que mais me move e o que mais me dá alegria, é o ciclo criativo, onde nele está inserida a música. Por mais que eu não saiba tocar nenhum instrumento e nem cantar feito ''gente grande'', a música é algo que realmente me dá prazer, me faz querer mais e mais de tudo de bom que a vida tem pra me dar. A música me toca profundamente, e eu sinceramente, não me importo com o que os outros pensam do meu gosto musical. Se é o que eu amo ouvir, porque não gritar para os quatro cantos do mundo todo o meu afeto pela música? Porque ficar me preocupando com os pensamentos de uma sociedade totalmente alienada e chula? Eu quero mais é ser feliz e aproveitar, do meu jeito, todos os prazeres que a música pode me dar. E é assim que eu vou vivendo. Aproveitando ao fundo todos os ciclos que a vida pode me oferecer. E seguimos em frente, com as mesmas esperanças, mas sem nunca desistir de que o que é bom e verdadeiro nunca morre.

Sobre a tal história.

Eles se conheceram e ela se apaixonou. Se distanciaram. Se aproximaram, e ficaram juntos. Até que surgiu um outro alguém, conhecido, importante. Era um rockstar, e ela então se apaixonou novamente. Foi tudo muito rápido, e assim, ela já não tinha como fugir e nem como negar aquela paixão.

Chega, é tudo o que eu posso falar, por agora. Daqui a algum tempo vocês saberão.

Sobre semana e futuro.

Semana cheia de coisas, foi isso que eu vivi nesses últimos dias.
Na segunda, o meu longo abraço na Talita, algo tão significante quanto meus pensamentos naquele instante.
O resto, foi mas idiotice do que outra coisa. Brinquei de correr de carrinho de supermercado, de verdade. Tomei uma Pepsi com meu amigos que mais parecia pinga, já que depois disso ficaram todos bêbados. Passei poucas e boas na Marisa, tentando trocar umas peças. Vi o tão quanto alienada a juventude está, dando prêmio pra gente que realmente não merece, não que eu seja formadora de opinião e queria manipular os outros, mas que tem muita coisa errada, isso tem. E além de tudo, ainda há o fato de o país ter de mudar toda a sua administração para o ano que vem, e todos nós, que por enquanto infelizmente não podemos votar, ficamos esperando a boa vontade de nossos amigos políticos resolverem ser boa gente e ter consciência de seus atos.
É, espero que, semana que vem eu possa falar de coisas melhores, já que por hoje, não há nada tão importante quanto a minha pessoa.
Enfim, ultimamente ando pensando no futuro, tendo dúvidas e incertezas quanto ao que eu quero ser, tendo que colocar tudo na ponta do lápis e ver no que vai dar toda a minha pequena história que apenas está começando.
E falando em história, resolvi finalmente começar a escrever minha história, já matutada na minha mente há mais ou menos um ano, mas nunca passado pro papel. Pois agora, tudo vai se tornar real, oficial. Mas por enquanto, vocês não saberão de nada, já só publicarei quando estiver totalmente redigida, o que pode demorar alguns anos.

Goodbye *_*

Um dia eu escrevi uma canção que começava e terminava com goodbye.
Fugi pra longe do teu coração com essa angústia que não deixa o meu em paz.

'Dear God, the only thing I ask of you is to hold her when I'm not arround, when I'm much too far away'.


E tudo se vai.

Sabe, eu queria falar sobre alguma coisa, mas não sei. Só sei que eu ando sentindo umas coisas estranhas, talvez seja porque a minha melhor amiga vai embora. Tudo bem, eu já me acostumei com esse tipo de situação, primeiro a Nathalia, depois a Marcela, a Riari, a Jee (que eu quase não vejo), e agora a Talita. Mas é tudo pro bem dela, e o que realmente mais quero é que ela seja feliz sabe? Eu até acho que teria sido melhor ela nem ter saído de Minas um dia. Assim, tudo seria melhor pra mim no sentido de ter que ver mais uma pessoa ir. Infelizmente, a vida é traiçoeira, e quando você menos espera ela te tira alguma coisa. E eu que não dou valor... é, sou uma trouxa. É isso, eu precisava de alguém pra falar, que me entendesse, e a única maneira que achei foi escrever aqui. Eu sei que vocês não tem nada a ver com isso, mas eu tinha que escrever.
Há certas coisas que são difíceis de aceitar, mas é isso. Um cheiro, até qualquer dia desses.

Péssimo

Ultimamente eu ando usando demasiadamente a palavra PÉSSIMO. Mas do jeito que as coisas andam acontecendo, é péssimo ver que tudo isso tomou este caminho.
Não há nada específico, mas mesmo assim, acho muito chato o modo horrendo que alguns levam a vida.
Não é uma crítica, mas ainda assim, gostaria que as coisas mudassem.

1 Ano

Eu estava olhando agora, e percebi que o Quando Eu For Velha já tem mais de um ano!

De lá pra cá tanta coisa mudou, desde que eu excluí o Agenda da Carol...

Mas agora tá tudo indo MARAVILHOSAMENTE bem, e eu, sinceramente, não me arrependo de nada.

É isso. Talvez depois escreva algo mais elaborado pra essa data.

Amar sempre que for possível.

Há algum pouco tempo atrás, talvez um ou dois dias, tive um bom incentivo para dizer, e repetir quantas vezes for preciso que é necessário amar.
Que seja um um cachorro, um filho, um homem, uma mulher, um cd, uma música, um dia... Não importa o que seja, amemos todos sem nos importar com motivos ou consequencias.
Seremos felizes se fizermos a nossa felicidade, então, vamos fazer o coração bater de novo, okay? Nem que seja por um momento.

Tá, isso foi muito clichê, mas eu precisava falar.

Eternidade

Estava aqui eu e meus miolos a pensar. Eis que eu começo a ler alguma coisa que incrivelmente me tocou. E dizia assim: ''mesmo que o tempo passe, e que você me odeie, e que você me esqueça, eu terei eternamente comigo os momentos, os sorrisos e por fim, as nossas lágrimas''.
Não é que eu tenha um motivo, mas isso me lembrou TANTA coisa, que sinceramente eu fiquei meio frágil. Tanto que até resolvi nem escutar música por hoje.
E pensando nessa oração (no sentido gramático da palavra), vejo que um momento a gente nunca apaga. Sendo bom ou ruim, o momento fica pra sempre na memória.
Eu me importaria se você fosse embora, mas ficaria pra mim a lembrança de que nada foi em vão, e eu fui feliz enquanto pude. E se eu for embora, tenho certeza de que o mesmo acontecerá.
Não tenho medo do destino, afinal, ele já me reservou tanta coisa boa, que eu não tenho nem porque reclamar. Então espero que esse mesmo destino faça com que você nunca mais se afaste.
Ou que eu tenha que me afastar de você. Mesmo que eu tenha que morar na favela, em outra cidade ou na Itália (meu maior sonho desde muito tempo atrás), eu não vou deixar escapar de mim cada sorriso nosso. E me lembrarei eternamente o quanto eu fui feliz, o quanto isso me fez bem e o quão bom é lembrar que você existe.
E o você citado aqui, não é um você exclusivo pra só uma pessoa. É um VOCÊ pra você, que um dia me fez sorrir, mesmo sem saber, que me fez chorar de alegria mesmo sem querer, e que me fez ser feliz, sendo feliz também.

Reflexos.

Ande no campo, na cidade e no litoral.
Veja as principais características de cada lugar:

-CAMPO. Normalmente, cidades do interior que fazem cultivo de alguma coisa, ou algum sítio, chácara ou fazenda aberta e com grande espaço, um campo aberto.
-LITORAL. Cidade ou região banhada pelo mar, normalmente um grande ponto turístico, com épocas de alta temporada.
-CIDADE. Uma cidade (ÓBVIO), independente, em sua maioria com grande população (metrópole), sede de grandes empresas. Lugar desenvolvido.

Sentiu a diferença?

Eu, nascida em São Paulo, sinceramente prefiro a cidade.
Pra quem não sabe, infelizmente, moro em Praia Grande, litoral do Estado de São Paulo, e não gosto de lá, por vários motivos: odeio calor, odeio praia, a cidade não tem nenhum lugar BOM pra ir, é sempre os mesmos lugares pra andar (praia, feirinha, shopping bostinha, calçadão), só tem nóia, você vive sendo roubado, e a cidade só enche quando é temporada, quando os paulistas vão pra zoar e FODEM tudo, com o perdão da palavra.

Já a minha querida São Paulo é GRANDE, diferente da PG, onde se anda 22,5 km e já acabou a cidade :)
A maior cidade do país (em importância) é diversificada, tem suas tribos, seus diferentes habitantes. Seus bairros tradicionais, onde se pode encontrar de tudo. Há uma colossal variedade na gastronomia, dando pra comer a cada dia num lugar diferente sem repetir.
Mesmo assim, como toda grande cidade, São Paulo também tem seus problemas, como por exemplo as enchentes e a violência. Mas venhamos e convenhamos, em qualquer lugar que chove muito, enche; assim como se você encher a sua pia com a torneira ligada no máximo. A água vai demorar pra escoar, assim como acontece numa enchente. E a violência está em todo lugar, assim, inevitavelmente somos vítimas dela todos os dias em qualquer lugar.
Além de tudo isso, há também a grande variedade cultural. E a cidade é o centro da economia do país, movimenta grande parte do capital do Brasil.

É um lugar que ainda tende a crescer MUITO.

Portanto, lendo isso você pode concluir duas coisas: eu sou muito ''patriota'' e só disse isso pra defender a cidade, ou há realmente um grande reflexo entre Praia Grande e São Paulo, e a não ser que você seja aposentado, também iria preferir viver na cidade grande.

Atores

Estava aqui eu no meu mundo particular e restrito pensando em atores.
Lembrei de uma situação qualquer em que precisamos nos portar de maneira diferente pra fazer uma boa imagem pra alguém.
Quando te vêm visitar e tu se arrumas toda pra fazer boa impressão, sendo que segundos atrás estavas de pantufas manchadas e camisão furado.
Quando teu chefe te perguntas: ''Tu bebe?''; e você responde ''Não''. Saindo dali tu vai pro Happy hour.
É assim, a sociedade cria um padrão e tu tem que seguir, caso contrário é rebelde, eremita, estranho ou demente.
As pessoas criam os personagens de pessoa bem vestida, casa bem apresentável, bom caráter, e tu, o ator, tem que seguir o roteiro.
Me lembro assim, das minhas aulas de sociologia, onde tive a primeira impressão de que, infelizmente, se eu não conheço a minha periferia, acabam sendo todos iguais aos meus olhos, já que fazem a mesma fachada de pessoa condizente com o normal. E no fundo, pode estar o psicopata que vai me matar, apenas se fazendo de ''amigo''.

O que acontece é que por não ter um bom senso crítico, acabei me deixando levar pelas aparências, e, pela terceira vez, me rendi à maioria tola.

Antídoto

Há algo diferente em mim. Desde semana passada, eu diria.

Eu venho sentindo algo que não sei explicar. Vem de dentro de mim, muito internamente. E não é sangue, nem catota de nariz.
É uma sensação, boa até.
Mas acontece que com ela, vem também um enorme filme na minha cabeça. Tem muita gente envolvida nisso, e eu ainda não sei o porquê. Eu já devia ter apertado o Ctrl+z pra muitas coisas, e memórias, e noites, e principalmente, pessoas.
Só que nada na vida é fácil, ou não parece ser, por enquanto.
Era um desejo, que já virou ideia fixa. E isso vem me martelando há muito tempo.
Não gosto, e não quero.
Mas sinceramente, a sensação eu não quero apagar.

Quando me parecia um jogo perdido, veio ela, a sensação.
E me fez tão bem, como se fosse aquele banho de cachoeira que lava a alma.
Foi sem querer, eu sei. Mas pareceu algo premeditado por alguém, só pra realmente me fazer sentir isso, de novo.
Sim, porque não foi a primeira vez. Eu já senti isso antes, um tempo atrás. E foi tudo idealizado pelo mesmo criador. E pela mesma voz.
Quando tu diz que ''o tempo vai gravar a tua voz em mim'', isso é uma verdade.
Porque o tempo fez que a tua voz permanecesse, aqui.
E ela ainda está, e continuará aqui, sempre.
Porque não é à toa que eu sinto ARREPIOS quando te escuto, Lucas Silveira.
E é exatamente no ''Quando você voltar, não vá me avisar, não vou estar aqui'', de Impossibilidades, e em ''Eu só quero provar que ao teu lado eu tava errado, eu nunca consegui viver. Mas só eu sei de você'', de Porto Alegre, que tua voz me dá arrepios, e a sensação insana e interestelar de que esse mundo é, por dentro, puro sentimento.

Fragilidade

Sabe quando uma coisa não está bem?
Quando tudo parece estar pairando e tu só vai carregando nas costas o peso do mundo, e o que te falta são forças pra levar a vida.
Sentindo falta de gente querida, ou sentindo falta de PRESENÇA da gente querida, mesmo que ela esteja do seu lado.
Falando coisas que não convém e fazendo coisas fora do comum.
Quando tudo isso começa a acontecer, é sinal de que algo realmente não está bem.
É um desequilíbrio, uma fragilidade.
É como se tudo na sua cabeça estivesse pairando no céu, sem destino, sem rumo.
E não é difícil encontrar alguém que já tenha passado por isso, nem que seja uma vez na vida.
Eu já passei, tu já passaste, é fato.
E mesmo que tu tente fugir da verdade, ela te persegue nestes momentos. E te dá o golpe mais traiçoeiro que já sentiste, te faz doer, arruinar-se.
Sem saída, o jeito é ficar se derrotando a cada palavra.
E isso vai, e vai. E passa.
Toda a dor, todo o teu sofrimento vai passar.
Vai sentir tudo em etapas.
Primeiro a dor, depois o sofrimento, a tristeza, o arrependimento, a revanche, a vitória, e o alívio.
É tudo uma fase, e tu realmente sabes que isso não vai ser pra sempre.

''E todo o medo, o desespero, a alegria. A tempestade, a falsidade, a calmaria. E os teus espinhos e o frio que eu sinto. Isso vai passar, também''.

Coisas...

E eu nem sei o que acontece nesse amor que mora em mim.
Mas eu vou te fazer ACREDITAR que ele existe e que é recíproco.
Você vai sentir tudo o que eu sinto.
E vai ver tudo o que eu vejo.
Perceberá que o melhor vem do mais simples gesto.
Como quando foi assim que tudo começou... Com um singelo olhar.

Madrugada.

Oi.
Pra quem não sabe, meu nome é Ana Carolina, tenho 15 anos, sou uma adolescente quase completamente sedentária, e devido isso MUITO acima do peso, e tenho medo de pombos.
E se você, só de ler isso achou que sou idiota. Parabéns, já que o pior de tudo é que o meu apelido é vaca.
São exatamente 1:35 do dia 22 de julho de DOIS MIL E DEZ, e eu estou pouco me lixando/lichando/liçando/limpando para os erros de concordância que me fazem ser uma pessoa totalmente neurótica neuroniamente por ter que pensar se é pra EU ou se é pra MIM.
Erroneamente, se tu acaba de decidir continuar a ler isto, tenha paciência.
Sou uma cavala (ou vaca) que é capaz de estar toda arranhada por agressões físicas cometidas pela prima de três anos.
Não estou a fim de fazer nada agora, nem dormir. Ultimamente este computador estribado vem sendo o meu amigo.
Eu sei que deveria agora estar falando sobre coisas que me atingem, e piriri e póróró, mas tenho neca de pitibiriba de paciência nesse instante. E a minha qualidade de intelecto deve ter caído significativamente agora.
Apesar de ser uma adolescente do século 21, da era digital... EU NÃO GOSTO DE JUSTIN BIEBER E AFINS! Por favor, não me venha com essa de que ele é fofinho e lindinho e tu quer se casar com ele. Desde o início disso eu vi que ia dar merda. E o pior é que essa criatura tem ''ibope'', digamos assim. E pra piorar a situação, tem estranhos colocando gente de OUTRO nível nesse saco.
Eu, como ''mocinha'' (pra ser legal), tenho que dizer pra você, minha colega: NÃO ENTRE NESSA! Fuja de coisas que fazem lavagem cerebral em você, tenha medo de LUZ NEGRA (já que é com ela que se pode ver o NEON brilhar :p ) e não finja ser o que você não é só pra agradar a maioria.
Saiba que a maioria é a pior espécie que existe. Sabe porquê? Porque a MINORIA tem interesses e argumentos pra defender sua tese, enquanto a maioria fica indo na dos outros. Mesmo que em parte, a minoria esteja errada em algum sentido, eu gosto dos menores, já que são os mais mente aberta e não tem medo de assumir os erros, ou até de assumir uma coisa super patética e escrota que todos repugnam.
E eu já falei demais por hoje, eu não deveria ter dito nada disso. Eu devia estar na minha cama, tirando uma soneca e deixar de ser, de novo, um zumbi ambulante que fica perambulando pela casa atrás de fazer nada de bom e construtivo que acrescente algo lindo e maravilhoso na minha vida. Boa noite!

Todo mundo precisa de alguém

Não é de hoje que isso vem me perturbando. Não é de agora que eu sinto estas coisas. É impossível evitar. Os calafrios, as palavras, as lágrimas. São as minhas manifestações de amor intenso que te fazem viver. É a minha curiosidade que te faz crescer. Foi tudo tão de repente, e hoje estou aqui. Um tempo depois, e tudo só vêm crescendo, a cada dia mais e mais. Eu amo ter isso pra mim. É o meu melhor refúgio. É a minha maneira de mandar um foda-se pro mundo. É o meu jeito de sentir o que quero, e infelizmente o que não quero também. Mesmo assim, eu NUNCA vou deixar isso sair de mim, jamais. O meu imensurável amor nunca vai se extinguir. Mesmo que o mundo acabe, ou que passe um furacão por aqui. Mesmo que eu queira, não posso acabar com tudo isso. Não, eu realmente não quero acabar com isso. Mesmo que o céu vire o inferno, mesmo que o ser seja o não ser, e ainda que eu não tenha um coração, eu ainda vou te amar. E quando tudo terminar, levarei isso ETERNAMENTE comigo.

''Eu preciso, você também, todo mundo precisa de alguém''.

The Hardest Part

''Tentativas vãs de descrever o que me calou.
Me roubou palavras, e chão, e ar. Me roubou de mim.''

Sim, é muito difícil tentar explicar o que me acontece, afinal, não me acontece nada.
Enfim, eu não faço ideia do porque estou fazendo um post se não tem nada pra falar.
Mesmo assim, eu queria acrescentar que os últimos acontecimentos me fizeram MUITO bem, e eu realmente precisava de uma injeção de ânimo daquelas. Foi TUDO muito bom, as conversas, o show, as presenças, o filme, as fotos, e principalmente, a razão de tudo aquilo ter acontecido...EU! haha, mentira, a razão, óbviamente foi a minha (levíssima) paixão pelo senhor Fernando Cunha Filho. Afinal, sinceramente, se não fosse ele, naquele dia eu não teria nem saído de casa, porque não tinha mesmo nada pra fazer se não fosse o show.
Aaaaaan, é isso. Portanto, deixo MUITO evidente a minha alegria, e devido à isso, resolvi voltar com a minha antiga meta, o Violets Violents. Tentarei voltar a fazer de mim um instrumento de mim mesma, assim, criando uma nova Ana Carolina Silva, a antiga e alegre Carol.

Um beijão, até!

Aproveitar

Amanhã será um dia maravilhoso.
Será bom porque eu terei uma boa companhia.
Será bom porque eu cantarei, dançarei e aproveitarei.
Assim, será um dia completo.
E sim, eu vou aproveitar ao máximo tudo o que eu puder. E concerteza, vai ser a melhor ''sessão de descarrego'' que eu já hei de ter feito.

A humanidade enxerga a vida como competição

Um fato sabido é que o luxo só resiste às custas de muita miséria e o bem-estar social é privilégio de poucos que se pratica uma lavagem cerebral disfarçada com o nome de entretenimento, mas mesmo diante da maior das atrocidades não experimentaremos sentimentos como o ódio e o desprezo ao invés disso nossos corações transbordarão amor e compaixão.

Vivemos rente aos trópicos
Onde as águas de março costumavam fechar o verão
Alimentamos Pensamentos utópicos
E usamos a biodiversidade como fonte de inspiração
Vejo uma senhora vendendo balas em frente ao metrô
No campo, máquinas substituem o agricultor
Imagino como era tudo no tempo do meu avô
Quando não existiam telefones celulares, garrafas pet e nem isopor

Dos bangalôs da Tailândia aos barracos do Vidigal
Dos iates em Ibiza aos soundsystems em Trenchtown
Há algo que move a todos com a mesma força vital
A busca da felicidade e a realização pessoal

SE CANTA COM FORÇA FORÇA, COM FORÇA A VIDA
MANTÉM ESSA CHAMA QUE HÁ EM VOCÊ, NO PEITO CONTIDA.


De relance me vejo pedalando um camêlo
Coqueiros e areia em primeiro plano e ao fundo um navio petroleiro
Calotas polares derretem e modificamos códigos genéticos em nome da ciência
o Homo se diz Sapiens, mas o que mais lhe parece faltar é a sapiência
Que o espaço-tempo é curvo, Einstein provou a partir de um lampejo
Realmente não sei se o que você chama de verde é a mesma cor que eu vejo
Alheia a isso, a maioria continua exaltando o luxo e a propriedade privada
Esquece que caixão não tem gaveta
E que dessa passagem, a aprendizagem é a única bagagem levada

Mas há crianças, há sorrisos, há o Maraca domingo
O panorama não agrada, mas não há porque se desesperar
Pela simples noção de que é uma dádiva estar vivo
De que os caminhos são lindos, e é necessário caminhar

50 entrelinhas.

E a cada vez eu fico mais confusa.
Eu tenho vontade de gritar pra você o quanto eu estou confusa/esperançosa
E se você realmente voltar, você talvez me faça ser de novo eu mesma.
Porque desde quando você se foi, nada foi como antes.
Não que eu quisesse voltar ao passado, mas as coisas sem você são muito estranhas.
E é realmente como se faltasse um pedaço de mim.
50, é um número de metade pra mim.
50 é metade de um século.
50 pode ser metade ou o fim de uma vida.
50 é um número simbólico.
50 é você e 50 sou eu, entende?
Como se nossas ideias formassem uma só mente.
E 50 é o exato número de postagens deste blog.
Que já ''Come And Go'' tantas vezes e que agora não tem mais dúvidas de que vai ser pra sempre.

http://twitter.com/beeshopana

Enchanted.

E sempre que eu penso em você meu mundo para.
Pra mim, não há forte melhor do que você.
Revelar teu nome seria idiotice da minha cabeça, afinal, se tu estás presente apenas nos meus sonhos, pra quê desfazer o encanto?
Eu só preciso te ver de novo, e confirmar se tu ainda lembra de mim.
E a cada vez, confirmando ou não se tu ainda lembra de mim, é que eu vou vivendo, e tendo a certeza de que eu ainda te amo. Muito.

Semana

Eu sei que hoje ainda é quarta feira, mas por enquanto a semana está indo bem.
Bom, vamos começar.

Apesar de falar de uma semana boa, infelizmente ela começou de uma maneira péssima. O baixista do Slipknot, Paul Gray morreu segunda feira, aos 38 anos , esperando seu primeiro filho, e supostamente vítima de overdose. Apesar de não ter uma ligação muito grande com a banda, gosto muito do estilo deles, e este fato me deixou relativamente abalada. Não é querendo fazer drama, mas qualquer que se vai, faz falta. Mas ele será o nosso eterno #2 e é isso que importa.

Terça-feira. Dia bom. Dia de sol. Dia de calor. Terça-feira. Dia feliz.
Como qualquer outra terça, esta foi engraçada e sorridente. Pelos fatos ocorridos e por mim também. E mais alguns fatos ligados à morte. Terça feira, 22:30 assistindo a um TV Show, percebi que DEVO ser mais feliz e valorizar muito o que eu tenho. Vi que sou muito egoísta quanto a mim, e preciso mudar. Eu vi que pessoas que estão numa maré péssima vivem de bem com a vida e dão valor a ela. Dar valor, é disso que eu preciso.

Quarta-feira. Hoje. Um dia que tinha tudo pra começar ruim. Passei boa parte do dia com um monte de gente me perturbando e reclamando da vida nos meus ouvidos. E isso realmente não é pra mim. Não sou de dar conselhos e quando eu tento fazer isso, só ''cago'' mais. Mas apesar disso, não me deixei levar e mesmo assim, sorri. E infelizmente, mais uma vez, tive um fato relacionado à morte. Durante a tarde fiquei sabendo que o pai de alguém da escola morreu. Não sei porque, mas senti uns esquisitos ''calafrios''. E tenho uma breve impressão de que é o pai de alguém que tenho uma pequena consideração. Já em casa, vi que os dias podem estar sendo curtos demais pra viver. E que esta coisa chamada tempo está se esgotando pra nós. Portanto, resolvi, tentar relevar os erros e discussões, pra poder aproveitar melhor os dias. Peguei algumas músicas e realmente vi que podia me sentir forte como antes. Talvez seja pela presença de cinco pessoas do meu passado recente que resolveram aparecer. E estas 5 me fizeram confiar e acreditar muito em alguém que eu não preciso nem falar o nome. Me senti como antes. Me senti bem.

3 dias. 3 mortes. 3 lições de vida. 3 dias bem vividos, afinal, eu estou aqui.

Ponto de Vista

Excepcionalmente hoje, não falarei de amizades, amores e afins. Falarei dos diversos pontos de vista.
Tudo isso começa num trabalho. De inglês especificamente, Tradução das músicas Beautiful Day e Orinoco Flow. Primeiro de tudo: nunca vi fazer CONCLUSÃO de música. Pra mim, música é pra sentir e não pra ver fins grosseiros e cheios de termos sobre ela. Segundo: o que se pode tirar de proveito de uma música que passa a maior parte do tempo clamando ''me deixe navegar, me deixe navegar, me deixe navegar''? Terceiro: o trabalho valia dois e tirei um e meio.
Se for pela nota, eu não me importo. Mas o pior é a justificativa.
Ao fazer a conclusão, tentei ao máximo expressar o meu ponto de vista de tudo aquilo. Talvez seja por isso que me foi descontado meio ponto. Enquanto todos diziam que a música é legal e linda, eu CONCLUI que a tal da Orinoco Flow, pra mim era muito chata e repetitiva, mas que pra quem gosta, é uma boa pedida. E talvez toda essa minha sinceridade tenha causado estranheza, espanto ou até arrepios. Imagine: pra alguém que vive corrigindo puxa-saquismos alheios, e lê uma coisa daquelas deve realmente ficar assustado.
Se aquele trabalho, ou principalmente a conclusão dele, tivesse uma resposta correta, do tipo 3x3=9, eu até me conformaria. Mas numa conclusão, você expressa o que entendeu do conteúdo, e já que eram músicas, expressei todo o poetismo cravado dentro de mim. E eu não sei por qual motivo, a professora viu que eu estava errada, ou talvez não totalmente certa.
Há algumas hipóteses a serem avaliadas: ela me descontou meio ponto porque escrevi superpopulosa e não super populosa(acabei de ver no meu amigo Google e ele me diz que realmente escreve-se superpopulosa, tudo junto, como eu fiz); ela não concordou com o meu ponto de vista; ela não gosta de mim; ou simplesmente ela odiou as folhas cor-de-rosa que fiz a capa.
Seja lá qual for o motivo (e isso não faz a mínima diferença agora), eu fico me perguntando: temos que ter os mesmos pontos de vista?
Bem, eu creio que não.
Veja, se todos nós tivéssemos o mesmo Ponto De Vista de tudo, não teríamos a ciência ou a religião. Afinal, se fôssemos todos da ciência, não ficaríamos nos perguntando de onde viemos. Ué, saímos do Big-Bang e do Macaco, pronto! Se fôssemos todos da religião, apenas concordaríamos que Deus, o grande cara nos criou e pronto. Fomos feitos. Saímos de uma costela, HAHA
Se tivéssemos o mesmo Ponto De Vista, não teríamos tantos e variados tipos de música, por exemplo. Todos achariam que ópera é legal e ficaria por isso mesmo. Ou rap, funk, rock... Já imaginou um mundo só de funkeiros? Feio, né?
Por fim, não condeno nenhuma prática de ninguém, mas só o que me deixa IDIOTIZADA é o fato de termos que seguir os parâmetros impostos por alguém sem no mínimo termos a chance de uma réplica.

E depois de todas estas justificativas, me disseram que eu devia ser jornalista.

Tudo o Que Faz Falta

E eu escrevo letras e mais letras, versos e mais versos, canções e mais canções.
E ainda assim, não encontro a solução.
Mas olhando melhor, solução não há, e nem um remédio.
Há um ...

Eu havia começado a escrever, mas me faltou palavras.
Me faltou o ar.

E tudo o que faz falta, neste momento, é um coração que saiba dizer não.

Verdades

Verdades não vão faltar e quando menos esperar eu não vou estar aqui.
Porque você conseguiu mais uma vez, estragar o que estava cicatrizando aos poucos.
Você conseguiu de novo, fazer que eu sinta horrores(e tremores) ao pensar no passado.

Eu acho que essa história não é nada boa, e não estou gostando nada de estar do outro lado. Se isso foi uma brincadeira, não soou tão bem quanto deveria pra mim, TALITA.

p.s.: citar nomes pra não cometer ERROS.

Três princípios

Eu tenho exatos vinte minutos pra escrever isto.
Eu tenho tempo suficiente pra pensar no que fazer.
Eu tenho apenas uma vida, mas muitas escolhas.

Há um tempo descobri que tenho um coração mole demais.
Há um tempo descobri que posso chorar mais do que imaginei.
Há um tempo descobri que sei mais do que posso.

Não quero ter um futuro premeditado.
Não quero ter o dinheiro que todos sonham.
Não quero ter o sossego e a vida mansa.

Eu quero poder batalhar pelos meus ideais.
Eu quero sair sem ter preocupações tolas.
Eu quero ter a sensação da vitória.

Sentir o coração bater por mais um dia vivido.
Sentir o coração bater por uma visão do presente.
Sentir o coração bater por uma nota musical.

Prazer de ter coisas boas.
Prazer de ser importante.
Prazer de conhecer.

Ferir quando for necessário.
Ferir quando for de mentirinha.
Ferir numa reação inesperada.

Chorar sempre que for possível.
Chorar pra ser feliz.
Chorar pra celebrar.

Cantar sempre que for possível.
Cantar pra ser feliz.
Cantar pra celebrar.

Sorrir sempre que for possível.
Sorrir pra ser feliz.
Sorrir pra celebrar.

Tudo na vida tem três princípios, três razões, no mínimo. E a própria vida tem os seus três princípios: Chorar, Cantar e Sorrir. Pra ser feliz, Pra celebrar. E sempre.
Um ser que quer ser eterno deve seguir ríspidamente estes princípios. E será eternamente uma pessoa bem vivida. Eternamente eterna, pra sempre.

O Destino

Hora de crescer, o destino é só um. E não adianta querer mudar.
Vou fazer o que é melhor, estar com quem me faz bem.
Onde está você?

E eu te dou todo o tempo que você precisar pra me reencontrar.
E que esse tempo guarde toda a boa lembrança que a gente viveu.
É melhor do que ficarmos juntos e acabar de uma vez
Sem querer relembrar de nossa história
Que ninguém vai conseguir apagar.

Esquece que o que ficou pra trás não é o que vai fazer você feliz agora.

Distante de você pensei em te procurar
E quase sem saber a gente foge sem notar
Que a estrada que me leva é a mesma que te traz
E o destino é o que te une a mim em todo o momento.

[Trechos de músicas do Aliados. Hora de crescer, Como sempre foi, Esquece, Senhor da Razão]

Aceito os Meios

No sim, existe um não
No céu, existe um chão
Vencer também traz perdas

Sentir pode doer
Sorrir pode esconder
Viver tem suas mortes

[Duras Pedras - Sandy]
Pronto. Uma letra de música. Eu acho linda. E real.

Tempo

E mesmo depois de tanto tempo, tudo parece continuar como se não houvesse mudanças.
É como se cada tic-tac do relógio me levasse a um tempo distante, em que eu via coisas para mim, e hoje, eu não posso nem dizer se ainda tenho esperanças para uma mudança.
Ou quem sabe até não acontece o contrário e agora eu tenho a convicção de que tudo será melhor.
São dilemas, são verdades, são momentos?
Ou são simplesmente dúvidas de quem nunca sabe de si, e nunca entendeu que o erro pode ser um acerto pro outro.
Passadas tantas semanas, tantos anos, ainda não consigo saber se tenho forças pra suportar certas palavras. Sim, sou frágil.
Admito que não sou inteligente o bastante pra me desvencilhar de obstáculos impostos pelas pessoas.
Não sei, não posso e nem quero descobrir a minha verdade neste momento.
Às vezes eu desejo me vingar da minha própria cabeça, dos meus pensamentos.
Mas eles me seguem, como se achassem engraçado me ver pedindo por solução.
E depois de tanto tempo, eu sinto que necessito de um abraço. Não é qualquer abraço. Não é abraço de mãe. Não é abraço de amigo. Não é abraço de qualquer um.
Eu realmente preciso de um abraço de vitória.
Preciso sentir a mesma sensação de cinco anos atrás, quando eu realmente me senti campeã.
Quero sentir todo o fervor de sentimentos duvidosos/verdadeiros/confiantes. Quero provar pra mim que posso ser mais.
Eu sinto saudades daquele tempo. Em que eu realmente me sentia apta. Eu confiava em mim.
O tempo é o senhor da razão, ele é sábio. O tempo me desejará boa sorte. O tempo saberá curar minhas feridas. E principalmente: o tempo saberá saciar a minha saudade.


P.S.: Sem dúvidas, em toda a minha vida, isto foi a coisa mais ''feeling'' que eu já escrevi. Pode parecer mentira, mas neste exato momento (4.05.2010, 22:52) eu estou chorando. E sentindo do pior jeito o que é ter saudade. Acredite se quiser, mas a invencível Carol, hoje perdeu.

Por Favor

Olá. Por favor, não me pergunte o porquê de eu escrever estas coisas aqui. Às vezes é por puro instinto mesmo.

Alfa e Ômega

Após um longo dia sem ter o que fazer, eu olho a minha face no espelho e tudo continua igual.
Seria ruim da minha parte colocar a culpa no espelho, mas não sei, acho que nisso ninguém tem culpa. Nem eu.
Sinto coisas estranhas quando o vento toca a minha pele. É como se alguém quisesse fazer contato comigo mas sente dificuldades. E todo o frio que vem depois passa a ser sua mensagem.
Chega a noite, e sei que posso sorrir. E tenho a alegria de pensar: chegou a hora de dormir. Não pelo fato de descansar, mas de deitar e poder sonhar.
Eu sei que quando sonho posso te tocar, assim como o vento toca em mim. E ao te ver, é como se fosse um espelho. Tudo o que você faz eu faço também.
É como eu já havia dito: ''Nós temos muita história entrelaçada''.
Nossos destinos têm um mistério fácil de ser resolvido: é simplesmente amor.
Este tal sentimento sublime nos consome a cada dia.
Eu não tenho medo de pensar: eu te amo. Já que te falar pessoalmente é algo pouco provável agora.
Mas este dia chegará, eu tenho fé. Nem que seja no céu (ou no inferno, talvez). Mas eu terei o prazer de olhar nos teus olhos e poder te dizer tudo o que eu quero. E fazer de você um pedaço de mim.

Um novo dia

E quando um novo dia chega
Ensolarado e cheio de alegria
Que tu vê que a felicidade
Depende de apenas um passo

Desejo

E foi na primeira vez que te vi que fiquei assim.
Radiante com cada palavra, gesto e sorriso teu.
Tu foi me levando cada vez mais a um lugar sem volta.
Ah! Como eu queria que você visse isso.
Como eu queria que você me visse.
Assim, deste jeito, só pra te testar.
Como eu desejo nós dois.
Querer é pouco, eu desejo.
É o meu melhor sonho.
E ter a confirmação de não te ter seria meu pior pesadelo.
Eu sei que tudo o que você sente eu sinto também.
Sinto saudade de você.
Muita.
Mas não perco a esperança de te ver de novo.
Eu venho guardando tantas coisas
Mas chega uma hora em que se deve revelar:
Nós dois temos muita história entrelaçada.
E um dia quando nossos destinos se cruzarem,
Eu vou olhar nos teus olhos
E esperar.
Esperar que você diga tudo aquilo que te aflige.
Vou te entender e te abraçar.
Como se aquele fosse o último dia das nossas vidas.
Sem medo, ficaremos juntos até o último suspiro.

''E um dia cheguei a pensar que sem alguém eu viveria mais feliz''.

Putz

Bom, vamos as boas:

  • Meu nome é Ana Carolina Silva, com muito orgulho, emoção e raça.
  • Tenho 15 anos, cara de 23 e corpo de 40.
  • A partir de agora, não me importo mais com os falatórios, suicidas e homicidas.
  • Continuarei com o ''Quando Eu For Velha''.
  • Fiz um novo fotolog, para espantar e convocar os demônios. Ele é todo em inglês, http://fotolog.com/cashsburning
  • Continuo com o http://fotolog.com/beeshopana
  • Meu twitter ainda é @beeshopana
  • Tenho os mesmos amores.
  • Tchau!

Chega!

Olá pessoas. Hoje é sexta-feira, mas o QEFV não acabará.

Por quê?
Porque há alguns dias atrás, exatamente entre anteontem e ontem eu tive um sonho. Confio e respeito muito os meus sonhos, já que é raro eu sonhar. Portanto, o sonho me mostrou coisas além de amizade, amor ou show's. O tal sonho me abriu os olhos para ver mais do que eu enxergava antes.

Enfim, é isso.

Um beijo e vamos para as próximas postagens.

Fim

Como dito na postagem anterior, o QEFV não existirá mais a partir de sexta.

Junto com o Violents Violets, o Quando Eu For Velha também será excluído.

Já que a minha ideologia se torna opressão para os outros, vou parar de escrever, pelo menos por um tempo.

É ruim acabar com todo esse meu projeto deste jeito, mas é a única forma que eu encontrei pra tentar rever as minhas atitudes, e assim perceber se o problema sou eu ou se eu sou a solução.

Falando do Luvas De Aço, acho que esse não é o momento ideal para começá-lo.

Espero que isso seja bom e que daqui a um tempo eu volte para dizer coisas ''melhores'' pros olhos dos outros.

Nunca fui de me importar com a opinião alheia, mas preciso de um tempo.

Um Grande Tempo.

E como diz o meu grande mestre: ''Quando você não esperar vai doer''.

E agora eu sei como dói.

Até.

Erros

Eu juro que eu não iria fazer isso e nem sei porque estou me prestando a este papel.
O problema é que eu não consigo ficar parada vendo toda essa situação.
Se o meu erro foi não querer citar nomes na MINHA prosopografia, eu não tenho culpa, já que a birosca é minha.
Eu falo o que quero e penso o que quero.
E talvez pra mostrar a minha fragilidade eu tenha me expressado mal, ou não tão bem, já que muitos não me entenderam.
Eu não sei porque, mas sinto que até esse meu ''direito de resposta'' vai dar merda.
Hoje, 20/04/2010, eu desisto de querer ser a Carol.
Portanto, o Quando Eu For Velha termina por aqui.

Sonho

Olha, eu não me lembro de nada muito claro, mas eu vou tentar dizer um pouco do que aconteceu na sexta/sábado, respectivos dias 16/17 de abril.

Fiquei na dúvida em ir pra escola, mas acabei indo. Chegando lá, não tive a primeira aula e não tive a tal prova (eu fui pra escola só por causa dela :/). Fiquei me mordendo de raiva, mas passou.
Teve um rolo grande e rolou até polícia... Briga de malandrões, digamos assim.
Fui embora mais cedo e acho que nunca me arrumei tão rápido quanto nesse dia.
Cheguei em casa quinze pras seis da tarde e me arrumei e maquiei tão rápido que não consegui nem fazer xixi, pois ele não quis sair.

Saí de casa junto com a Raquel 18:05. Meu pai foi abastecer e quando chegamos no posto, a fila estava megaquilométrica. #ferrou
Saímos do posto às 18:40. Finalmente chegamos em Santos às 19:20
Já tinha uma #puta fila e eu pensei: já era o meu sonho de ver a Fresno de perto.
Até que um anjo de olhos cerrados apareceu na minha frente: encontrei a Rafa Curci bem no começo da fila e dei um Ufa tão grande que até me deu vontade de fazer xixi (mas nessa hora não dava).
Raquel e eu furamos a fila. HAHA eu tava num cagaço tão grande de ser linchada dali que foi tudo mega tranquilo.
Deu 20:00H e nada da porta da Capital abrir. Daí veio umas mina querendo furar fila e começou o ba-fa-fá. Quase deu porrada e foi aí que o meu cagaço aumentou ainda mais. Pensei: vão me tirar daqui nem que seja amarrada. HAHA
Até que a porta se abriu e eu corri pra dentro antes que desse mais merda.
Até que caiu a ficha: consegui ficar na grade Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah :)

O show começou com a banda Seven Life, que eu gostei muito porque eles fizeram dois Covers do Gloria: Vai Pagar Caro Por Me Conhecer e Asas Fracas.
Depois acho que foi a banda Authan, que eu nem lembro muito bem, ou seja, foi ruim.
Daí veio Free Luck, Radioquest, Garnet, Vinci, Reativa...não nessa ordem, mas foi isso.

Depois foi a vez da banda VOLK. Durante a montagem dos equipamentos, vimos um baixo ROSA e falamos: HAHA é gay :) mas na hora em que o tal ''gay'' entrou quase que a Rafa e eu tivemos um treco. o Rafinha é LINDOLINDOLINDOLINDO e o som da banda também é bem legal hihi

A próxima banda da vez foi o Cine, que já é velho conhecido.
O Bruno não parava de olhar pra Rafa e na música ''A Noite Virou Dia'' ele cantou pra mim. #fofo
A Rafa jogou uma pulseira pra ele, mas ele pisou encima e a pulseira estourou. Cara, o Brunera pediu tantas desculpas que já tava ficando chato.
Eu morrendo lá na frente e adivinha? o Dash me deu uma garaafa de água CHEIA! tipo, parece pouco, mas naquela situação foi a salvação. #lovedash

O show acabou e a Rafa saiu, daí eu fiquei sozinha e very apertada, feito sardinha em lata ou coisa pior.

Chegou a vez da Fresno (orra, finalmente) e dei muita sorte, porque fiquei entre o Tavs e o Beeshop. Toda hora eles vinham tocar na minha frente e até dava pra pegar nas guitas, de tão perto.
Antes de dar mais detalhes, aí vai o setlist do show(não foi exatamente nessa ordem).
  • Redenção
  • Desde Quando Você Se Foi
  • Revanche
  • Alguém que Te Faz Sorrir
  • Passado
  • Uma Música
  • Quebre As Correntes
  • Polo
  • Milonga
  • Onde Está

Muita coisa aconteceu, mas o que foi melhor foi o olho-no-olho comigo e com o Tavares HAHA ele cantou pra mim em DQVSF e em Passado, mais uma vez(no último show da Fresno ele deu uma piscadela pra mim nessa música).

Tirei muitas fotos apenas da Fresno e foi tudo muito perfeito.

Não peguei nada, mas estou muito contente com toda a minha noite. Cheguei em casa 05:00H da manhã e estou toda quebrada.

Um cheiro, até!

Planos

Após me abrir com vocês, vamos ao que interessa.
Ganhei o melhor presente de aniversário que podia ter acontecido [falarei sobre isso no próximo post].
Sou uma vagal, porque ainda não trabalho HAHA
Comprei créditos para o meu celular ontem e eles dobraram #quebom
_____________________________________________________
Coisas importantes:
  • Começarei a escrever/digitar o meu ''livro''. A história real/fictícia já está na minha cabeça há muito tempo, agora é só por no papel. Quem sabe um dia o meu sonho não vira realidade e eu tenho um LIVRO publicado.
  • Não estou nem um pouco a fim de ir no show do Hevo. Não sei o que está acontecendo HOHO
  • E agora vem a melhor parte de todas: daqui a algum tempo, talvez no fim do ano ou até antes disso, eu retornarei ao meu porto seguro, ao meu coração, à São Paulo. Depois de quase oito anos nessa Praia Grande que chamam de ''cidade'', temos planos reais de voltar pra grande metrópole. Apesar de saber que as minhas crises de rinite serão constantes e que gripe vai ser minha amiga, eu estou muito feliz em saber que finalmente meus pais se deram conta de que esse não é o nosso lugar.

É só. Esses são os meus planos, por enquanto. Talvez essa pequena lista se torne vasta, mas por agora, é isso mesmo.

Idade

Eu, agora com 15 anos me sinto a mesma. Tudo continua como antes e eu ainda não posso dirigir.
Além disso, a idade não interferiu em nada na minha cabeça. Persisto nos mesmos ideais e pretendo continuar com eles durante muito tempo. Ainda não faço questão de muitas presenças em minha vida apesar de elas serem inevitáveis. Não quero criar clichê, mas com os meus amigos de verdade eu não consigo encher os dedos de uma mão. Talvez isso seja bom pra mim. Tendo menos pessoas em quem confiar, tenho menos problemas pra minha cabeça.
Comparando o texto do ano passado comigo hoje, vejo que continuo com os mesmos ''sonhos'' e adicionei mais um à minha lista, e este é o mais ambicioso de todos. No caso, não depende de ninguém a não ser de mim. Não posso pedir pra ninguém realizá-lo ou ajudar a fazê-lo. É só eu e eu.
Continuo tendo os mesmos vícios, muito bons, inclusive.
Tenho a mesma família... Mas não tenho pessoas muito importantes perto de mim. E talvez seja essa falta que esteja me distanciando desse blog. Quando eu os tinha, eu era mais criativa e independente, mas agora eu sou meio monótona.
Desde o início deste ano eu percebi que nada seria igual como era. E de uns dias pra cá, eu vi a outra face de muita gente que eu pensei ser ''boa''. Eu percebi que nem todos eram ingênuos como pareciam ser, eu vi que os boníssimos corações são feitos de pedra, eu vi que o mais importante pra eles/elas é se dar bem, independente do que façam com os corações/almas dos outros.
Durante esse um ano em que eu tive quatorze anos, fui a Carol amiga e sincera. Mas talvez durante esse próximo ano em que vou passar, eu necessite mostrar a Carol que nem todos gostariam de ver.
Eu tenho muitos lados e posso facilmente mascará-los dentro de uma garota doce e meiga. Não que isso seja uma ameaça à humanidade, mas é apenas um aviso do que pode acontecer. Quando eu virar a Ana Carolina Silva, não reclame, pois isso já era previsível e foi você quem cutucou a fera com vara curta.
Eu sei e tenho plena consciência de que ano que vem eu posso escrever coisas totalmente irreais hoje, mas eu quero ver os meus limites, quero me testar. Preciso saber se eu sou tão forte quanto falo, se consigo resistir ao tempo feito um metal bruto.
E mesmo com o tempo, eu escrevo as minhas prosopografias sem citar nomes, até porque dentro de uma história cada um tem sua face e sabe muito bem como defini-la.

Bang

E a cada vez a guerra fica mais evidente.
Eu não pretendo vencer, já que sou a que mais perdi dentre todas as batalhas.
Fique bem, eu não me importo se tu ganhar.
Se o meu coração estiver bem, eu estou feliz.

Novas (e velhas) amizades

Olá gente. Vim aqui para contar da minha última quarta-feira.
Nesse dia, nós saímos do colégio mais cedo e fomos ao boqueirão olhar esmaltes, Monyza, Luiza, Izabel, Bia Marchetti, Bia BRSS, Camila e eu. Lá, nós nos encontramos com a Clara, a Hayla, a Drica, uma menina que eu não sei o nome e um menino muito estranho que eu tbm não sei o nome. A Monyza, a Lu e Camila foram embora rápido e nós todos ficamos. Daí percebemos que a maioria estava mascando chiclete, então resolvemos fazer uma competição pra ver quem jogava a bolinha mais longe, então fomos à praia. No caminho, estava tocando uma sertanejo numa loja, daí Drica, Hayla e Bia Marchetti começaram a dançar no meio da Costa E Silva, foi muito micón. Chegamos à Praia e começamos a competição. Primeiro a Bel, depois Bia M., Clara e eu por fim. Quem ganhou? Eu! Joguei mais longe e no fim não ganhei prêmio nenhum. No calçadão da praia observando a gente fazer aquilo, estavam dois punks/roqueiros, e até então tava tudo normal. Daí os dois que eu não sei o nome ficaram lá na praia e nós(drica, bia m., bia brss, bel, clara, hayla e eu) fomos embora. E resolvemos tomar nosso caminho de volta cantando. Rolou música de tudo quanto é tipo e quando chegamos em frente ao Magazine Luiza, tava tocando ''ela sai de saia, de bicicletinha, uma mão vai no guidão e a outra tapando a calcinha''. Nisso, nós tivemos que parar pra olhar Bia Marchetti e hayla dançando isso no meio da rua. Até o carinha do microfone falou: ''Olha lá as meninas''. Continuamos nossa caminhada e o sertanejo tava tocando mais uma vez no mesmo lugar, o que ocasionou uma dança geral. Depois disso, nós percebemos que os punks tavam seguindo a gente, e já não éram dois, éram quatro. ficamos num cagaço só e entramos numa loja pra despistar. Eles passaram reto e nós saímos da loja e atravessamos a avenida. Mas eles ficaram nos observando por um bom tempo. E a gente continuou andando e cantando e pá. Daí duas meninas estranhas, feias e se achando tosas olharam para nós naquela situação e falaram "que isso?" e também resolveram nos seguir. Chegamos na rua da escola de novo e as estranhas pararam de nos seguir tbm. Quase chegando à escola, a gente tava falando dessas duas e a Bia BRSS disse: ''Um minuto de silêncio'' (para as meninas feias). Só que nessa hora tava passando um carinha de cadeira de rodas por nós e ficou mto mal, pq ele pensou que foi pra ele. Chegamos na escola e todo mundo foi embora, menos a Bia BRSS que ficou comigo. Daí a gente tava lá conversando e passou uma carinha de moto. A Bia olhou e disse: ''O meu ex-namorado tinha uma moto igual essa'' e apontou pra moto. Só que nisso o cara da moto ficou olhando pra trás, deuum buzinadinha e voltou em nossa direção. O cagaço foi tão grande que a gente correu pra dentro da secretaria, mas o cara demorou pra passar lá na frente de novo e nós duas resolvemos sair. Quando olhamos, o cara tava lá conversando com uma tiazinha que passou na nossa frente na hora. Ou seja: a buzinadinha não era prá nós, mas pra tiazinha que o cara da moto conhecia. Mew, foi mto engraçado a gente correndo e o pior é que o cara percebeu e ainda saiu dando risada da nossa cara. Bom, foi isso. E é mais ou menos assim que a gente vai conquistando novas (e velhas) amizades.

TMBL ♥

Olha só, depois de um mês é que eu vou fazer isso. hihi

Bom, hoje 28 de MARÇO, faz um mês que o meu amorzinho fez aniversário. Como prometido, estou fazendo um post especial pra ela.

TMBL, Talita Mariana Botelho Loyola
ou
TMBL, The Master Blaster Love hihi

Pois é, é o maior amor que eu já senti e sinto por uma amiga. Dentre minhas companheiras e fiéis escudeiras, você, Talita, é a mais especial e significativa pra mim. Não é desmerecendo as outras, mas até por tudo o que a gente já passou, não podia ser diferente.
De tantos fatos passados, muitos deles são inesquecíveis. As nossas mudanças, as tantas ameaças de você ir pra Minas, e por aí vai. É até meio difícil escrever coisas sobre a nossa amizade porque foram tantas coisas. E ainda mais agora que nós estamos um pouco longe uma da outra, eu já não tenho tanta inspiração pra escrever como antes. Tudo sobre nós já é nostálgico, não há como negar. Mas é como eu sempre escrevi nas cartas: quando eu for velha, eu lembrarei que eu tive uma grande amiga. E que foi ela que me mostrou e me abriu os olhos pra tanta coisa. TMBL, que foi obrigada a amadurecer um pouco mais cedo pelas consequências da vida, me ensinou o que é amar realmente. Me ensinou como é fazer os outros felizes. Me mostrou um pouco da felicidade através de muitos fatores, mas o principal deles é a música. Me mostrou através de milhares de artistas e bandas, com suas letras expressivas, como é ser e fazer a felicidade. Aliás, foram esses artistas que nos aproximaram desde o início. No começo era apenas um coleguismo por causa da música, mas depois do tempo, foi se tornando uma amizade que mostrou outras músicas. E tem tantos outros dias memoráveis, que escrevê-los aqui seria cansativo. Por isso eu já vou pular pro final desse troço.

Talita, eu te amo, sua macaca desvairada. E eu sei que serei eternamente o seu anguzinho queimado.

Coleguismo

Hoje eu vi que uma coisa puxa a outra.
Num primeiro momento, éramos três.
Quando eu fui ver, éramos dez.

e hoje eu também vi que o passado está presente.
/AINDA BEM

É só isso.

um beijo, até.

http://meadiciona.com/beeshopana

Alienação

Dizem que o brasileiro é alienado(pra quem não sabe, alienada é a pessoa que segue e faz tudo o que os outros também fazem. um maria-vai-com-as-outras, contribuidor pra modinhas).
E nessa lista, me incluem.

Por quê?
Porque eu gosto de Fresno. Se todos gostam de Fresno, eu gosto também.
Porque há algum tempo eu escutava Cine.
Porque eu uso Wayfarer.
Porque eu uso All-Star.
Porque eu coleciono posters.
Porque tenho munhequeiras e afins.
Porque , porque, porque.

Eu escuto o que eu quiser e ninguém tem bulhufas a ver com isso.
Pra surpresa de muitos, eu parei de escutar Cine, mas apesar disso, ainda sei as músicas deles /MEMÓRIANÃOSEAPAGATÃORÁPIDO

Apesar das críticas, discussões, e desdenhas...
Eu vou continuar amando Fresno /COMOJÁDISSEANTERIORMENTE
Vou continuar usando meu Black Wayfarer.
Vou continuar usando meus All-Stars /ELESSÃOCONFORTÁVEIS
E vou continuar colecionando posters até preencher minha pasta.

Se você não concorda com isso, mate-se.

um beijo, tchau!

Eu perdi tudo

Eu perdi tudo.
Eu perdi as minhas fichas do poker.
Eu perdi os meus melhores amigos.
Eu perdi as minhas músicas.
Eu perdi a minha alegria.
Eu posso ter perdido tudo, mas não perdi a minha felicidade.
Mas porque depois de tudo isso eu ainda sou feliz?
Porque eu sei que...
Se eu jogar um real no poker eu posso ganhar muitas outras fichas.
Com uma boa conversa eu posso ganhar meus grandes amigos de volta.
A minha memória não falha, e eu posso recuperar cada música uma a uma.
E depois de ter tudo de volta, a minha alegria renascerá.

''E é por essas e outras que eu sou brasileira... e não desisto nunca''.

Bem...

Antes de tudo, preciso dizer que o Violets Violents, vulgo VV, não existe mais HA
Ué, mas porque?
Porque ele tava me enchendo.
Calma! Eu não perdi o meu propósito, mas o VV tava meio esquecido, então resolvi deixá-lo.

As novidades contadas nele, eu colocarei aqui, beleza?

tipo, ninguém lia o VV, mas ele era importante pra mim.

um beijo, tchau!

E foi assim...

Supostamente, dezembro e janeiro são meses de férias. Sim! Eu estava de férias.
E também são meses de chuva! Sim, choveu muito.
No Dia 27 de novembro, fui para as minhas merecidas férias. HA São Paulo, casa da Tia Verde(que não é mais Verde) e tal... O PC dela é chato, e deu um piri-paque. Agora ele não reconhece a placa de rede. E o que aconteceu? Não tive Internet. Passei todo esse tempo jogando Paciência.
No Ano Novo, voltei pra casa. Na esperança de ter um computador, mas... A chuva atrapalhou os meus planos. Num temporal, São Pedro mandou um raio e a descarga foi tão grande que a luz acabou( e o meu PC tava ligado). Nessa, quando a luz voltou, o PC não ligou mais. Resultado: queimou a placa-mãe, a fonte não mandava energia pra placa e a placa de memória de 512 queimou(eu tinha um giga e meio). Perdi todos os meus arquivos, fotos, vídeos, cds completíssimos que eu tinha baixado e tudo mais. E foi só anteontem que o PC voltou! Ah, só pra deixar bem claro, EU NÃO GOSTO DE LAN HOUSE

Agora, falando de férias, eu perdi um mega show do Hevo e da Fresno... Mas isso é o de menos :)
Tomei muita chuva em Sampa, mas foi bom. Teve uns dias entediantes e tal, mas isso a gente supera. Fui alguns dias no shopping ( que é na mesma rua), mas não comprei nada ºoº

E sabe qual foi o melhor de tudo? Alguém carregou vinte reais no celular, mas passou o número errado e os créditos foram todos pra MIM!!!

Os acontecimentos anteriores às férias eu superei, mas mesmo assim, queria mais uma conversa.

Agora, o que eu tenho a fazer é baixar todos os cds de novo e voltar a cantar como um beija-flor rastejando pela areia em busca de água.

OOO VERÃO QUENTE!!!!! até peguei um bronze.

Bom, foi isso que aconteceu.

bgsbgspravcs*

TCHAU e até logo :)

I'll be back HA

Oi povo. Depois de uns meses, eu voltei.
Seria esperado eu publicar um texto quilométrico sobre como foi as férias, o porque de eu ter ''sumido'' e tal, mas...
Eu juro que não estou nem um pouco a fim de fazer isso, ao menos agora.
Então, até qualquer dia.
Ah! Só pra lembrar: o Luvas De Aço ainda vai ao ar, mas por causa dos contratempos eu não pude fazer nada com ele por enquanto. Os textos já estão matutados e só falta eu achar um tela bonita.
A respeito do Violents Violets, depois eu vou atualizar. O Myspace e Facebook, eu vou deixar pra depois. As minhas fotos novas não estão no meu PC, por isso vou esperá-las pra postar no Fotolog. Esqueci do MSN e não entrarei tão cedo. No Orkut, só responderei o que for cabível à ocasião. O Twitter tem só uma atualização, mas continuarei mexendo nele.

Devido aos acontecimentos do mês de dezembro, não darei mais detalhes.

Sim, voltei mais chata.

Tchau :)