Reflexos.

Ande no campo, na cidade e no litoral.
Veja as principais características de cada lugar:

-CAMPO. Normalmente, cidades do interior que fazem cultivo de alguma coisa, ou algum sítio, chácara ou fazenda aberta e com grande espaço, um campo aberto.
-LITORAL. Cidade ou região banhada pelo mar, normalmente um grande ponto turístico, com épocas de alta temporada.
-CIDADE. Uma cidade (ÓBVIO), independente, em sua maioria com grande população (metrópole), sede de grandes empresas. Lugar desenvolvido.

Sentiu a diferença?

Eu, nascida em São Paulo, sinceramente prefiro a cidade.
Pra quem não sabe, infelizmente, moro em Praia Grande, litoral do Estado de São Paulo, e não gosto de lá, por vários motivos: odeio calor, odeio praia, a cidade não tem nenhum lugar BOM pra ir, é sempre os mesmos lugares pra andar (praia, feirinha, shopping bostinha, calçadão), só tem nóia, você vive sendo roubado, e a cidade só enche quando é temporada, quando os paulistas vão pra zoar e FODEM tudo, com o perdão da palavra.

Já a minha querida São Paulo é GRANDE, diferente da PG, onde se anda 22,5 km e já acabou a cidade :)
A maior cidade do país (em importância) é diversificada, tem suas tribos, seus diferentes habitantes. Seus bairros tradicionais, onde se pode encontrar de tudo. Há uma colossal variedade na gastronomia, dando pra comer a cada dia num lugar diferente sem repetir.
Mesmo assim, como toda grande cidade, São Paulo também tem seus problemas, como por exemplo as enchentes e a violência. Mas venhamos e convenhamos, em qualquer lugar que chove muito, enche; assim como se você encher a sua pia com a torneira ligada no máximo. A água vai demorar pra escoar, assim como acontece numa enchente. E a violência está em todo lugar, assim, inevitavelmente somos vítimas dela todos os dias em qualquer lugar.
Além de tudo isso, há também a grande variedade cultural. E a cidade é o centro da economia do país, movimenta grande parte do capital do Brasil.

É um lugar que ainda tende a crescer MUITO.

Portanto, lendo isso você pode concluir duas coisas: eu sou muito ''patriota'' e só disse isso pra defender a cidade, ou há realmente um grande reflexo entre Praia Grande e São Paulo, e a não ser que você seja aposentado, também iria preferir viver na cidade grande.

Atores

Estava aqui eu no meu mundo particular e restrito pensando em atores.
Lembrei de uma situação qualquer em que precisamos nos portar de maneira diferente pra fazer uma boa imagem pra alguém.
Quando te vêm visitar e tu se arrumas toda pra fazer boa impressão, sendo que segundos atrás estavas de pantufas manchadas e camisão furado.
Quando teu chefe te perguntas: ''Tu bebe?''; e você responde ''Não''. Saindo dali tu vai pro Happy hour.
É assim, a sociedade cria um padrão e tu tem que seguir, caso contrário é rebelde, eremita, estranho ou demente.
As pessoas criam os personagens de pessoa bem vestida, casa bem apresentável, bom caráter, e tu, o ator, tem que seguir o roteiro.
Me lembro assim, das minhas aulas de sociologia, onde tive a primeira impressão de que, infelizmente, se eu não conheço a minha periferia, acabam sendo todos iguais aos meus olhos, já que fazem a mesma fachada de pessoa condizente com o normal. E no fundo, pode estar o psicopata que vai me matar, apenas se fazendo de ''amigo''.

O que acontece é que por não ter um bom senso crítico, acabei me deixando levar pelas aparências, e, pela terceira vez, me rendi à maioria tola.

Antídoto

Há algo diferente em mim. Desde semana passada, eu diria.

Eu venho sentindo algo que não sei explicar. Vem de dentro de mim, muito internamente. E não é sangue, nem catota de nariz.
É uma sensação, boa até.
Mas acontece que com ela, vem também um enorme filme na minha cabeça. Tem muita gente envolvida nisso, e eu ainda não sei o porquê. Eu já devia ter apertado o Ctrl+z pra muitas coisas, e memórias, e noites, e principalmente, pessoas.
Só que nada na vida é fácil, ou não parece ser, por enquanto.
Era um desejo, que já virou ideia fixa. E isso vem me martelando há muito tempo.
Não gosto, e não quero.
Mas sinceramente, a sensação eu não quero apagar.

Quando me parecia um jogo perdido, veio ela, a sensação.
E me fez tão bem, como se fosse aquele banho de cachoeira que lava a alma.
Foi sem querer, eu sei. Mas pareceu algo premeditado por alguém, só pra realmente me fazer sentir isso, de novo.
Sim, porque não foi a primeira vez. Eu já senti isso antes, um tempo atrás. E foi tudo idealizado pelo mesmo criador. E pela mesma voz.
Quando tu diz que ''o tempo vai gravar a tua voz em mim'', isso é uma verdade.
Porque o tempo fez que a tua voz permanecesse, aqui.
E ela ainda está, e continuará aqui, sempre.
Porque não é à toa que eu sinto ARREPIOS quando te escuto, Lucas Silveira.
E é exatamente no ''Quando você voltar, não vá me avisar, não vou estar aqui'', de Impossibilidades, e em ''Eu só quero provar que ao teu lado eu tava errado, eu nunca consegui viver. Mas só eu sei de você'', de Porto Alegre, que tua voz me dá arrepios, e a sensação insana e interestelar de que esse mundo é, por dentro, puro sentimento.

Fragilidade

Sabe quando uma coisa não está bem?
Quando tudo parece estar pairando e tu só vai carregando nas costas o peso do mundo, e o que te falta são forças pra levar a vida.
Sentindo falta de gente querida, ou sentindo falta de PRESENÇA da gente querida, mesmo que ela esteja do seu lado.
Falando coisas que não convém e fazendo coisas fora do comum.
Quando tudo isso começa a acontecer, é sinal de que algo realmente não está bem.
É um desequilíbrio, uma fragilidade.
É como se tudo na sua cabeça estivesse pairando no céu, sem destino, sem rumo.
E não é difícil encontrar alguém que já tenha passado por isso, nem que seja uma vez na vida.
Eu já passei, tu já passaste, é fato.
E mesmo que tu tente fugir da verdade, ela te persegue nestes momentos. E te dá o golpe mais traiçoeiro que já sentiste, te faz doer, arruinar-se.
Sem saída, o jeito é ficar se derrotando a cada palavra.
E isso vai, e vai. E passa.
Toda a dor, todo o teu sofrimento vai passar.
Vai sentir tudo em etapas.
Primeiro a dor, depois o sofrimento, a tristeza, o arrependimento, a revanche, a vitória, e o alívio.
É tudo uma fase, e tu realmente sabes que isso não vai ser pra sempre.

''E todo o medo, o desespero, a alegria. A tempestade, a falsidade, a calmaria. E os teus espinhos e o frio que eu sinto. Isso vai passar, também''.

Coisas...

E eu nem sei o que acontece nesse amor que mora em mim.
Mas eu vou te fazer ACREDITAR que ele existe e que é recíproco.
Você vai sentir tudo o que eu sinto.
E vai ver tudo o que eu vejo.
Perceberá que o melhor vem do mais simples gesto.
Como quando foi assim que tudo começou... Com um singelo olhar.

Madrugada.

Oi.
Pra quem não sabe, meu nome é Ana Carolina, tenho 15 anos, sou uma adolescente quase completamente sedentária, e devido isso MUITO acima do peso, e tenho medo de pombos.
E se você, só de ler isso achou que sou idiota. Parabéns, já que o pior de tudo é que o meu apelido é vaca.
São exatamente 1:35 do dia 22 de julho de DOIS MIL E DEZ, e eu estou pouco me lixando/lichando/liçando/limpando para os erros de concordância que me fazem ser uma pessoa totalmente neurótica neuroniamente por ter que pensar se é pra EU ou se é pra MIM.
Erroneamente, se tu acaba de decidir continuar a ler isto, tenha paciência.
Sou uma cavala (ou vaca) que é capaz de estar toda arranhada por agressões físicas cometidas pela prima de três anos.
Não estou a fim de fazer nada agora, nem dormir. Ultimamente este computador estribado vem sendo o meu amigo.
Eu sei que deveria agora estar falando sobre coisas que me atingem, e piriri e póróró, mas tenho neca de pitibiriba de paciência nesse instante. E a minha qualidade de intelecto deve ter caído significativamente agora.
Apesar de ser uma adolescente do século 21, da era digital... EU NÃO GOSTO DE JUSTIN BIEBER E AFINS! Por favor, não me venha com essa de que ele é fofinho e lindinho e tu quer se casar com ele. Desde o início disso eu vi que ia dar merda. E o pior é que essa criatura tem ''ibope'', digamos assim. E pra piorar a situação, tem estranhos colocando gente de OUTRO nível nesse saco.
Eu, como ''mocinha'' (pra ser legal), tenho que dizer pra você, minha colega: NÃO ENTRE NESSA! Fuja de coisas que fazem lavagem cerebral em você, tenha medo de LUZ NEGRA (já que é com ela que se pode ver o NEON brilhar :p ) e não finja ser o que você não é só pra agradar a maioria.
Saiba que a maioria é a pior espécie que existe. Sabe porquê? Porque a MINORIA tem interesses e argumentos pra defender sua tese, enquanto a maioria fica indo na dos outros. Mesmo que em parte, a minoria esteja errada em algum sentido, eu gosto dos menores, já que são os mais mente aberta e não tem medo de assumir os erros, ou até de assumir uma coisa super patética e escrota que todos repugnam.
E eu já falei demais por hoje, eu não deveria ter dito nada disso. Eu devia estar na minha cama, tirando uma soneca e deixar de ser, de novo, um zumbi ambulante que fica perambulando pela casa atrás de fazer nada de bom e construtivo que acrescente algo lindo e maravilhoso na minha vida. Boa noite!

Todo mundo precisa de alguém

Não é de hoje que isso vem me perturbando. Não é de agora que eu sinto estas coisas. É impossível evitar. Os calafrios, as palavras, as lágrimas. São as minhas manifestações de amor intenso que te fazem viver. É a minha curiosidade que te faz crescer. Foi tudo tão de repente, e hoje estou aqui. Um tempo depois, e tudo só vêm crescendo, a cada dia mais e mais. Eu amo ter isso pra mim. É o meu melhor refúgio. É a minha maneira de mandar um foda-se pro mundo. É o meu jeito de sentir o que quero, e infelizmente o que não quero também. Mesmo assim, eu NUNCA vou deixar isso sair de mim, jamais. O meu imensurável amor nunca vai se extinguir. Mesmo que o mundo acabe, ou que passe um furacão por aqui. Mesmo que eu queira, não posso acabar com tudo isso. Não, eu realmente não quero acabar com isso. Mesmo que o céu vire o inferno, mesmo que o ser seja o não ser, e ainda que eu não tenha um coração, eu ainda vou te amar. E quando tudo terminar, levarei isso ETERNAMENTE comigo.

''Eu preciso, você também, todo mundo precisa de alguém''.

The Hardest Part

''Tentativas vãs de descrever o que me calou.
Me roubou palavras, e chão, e ar. Me roubou de mim.''

Sim, é muito difícil tentar explicar o que me acontece, afinal, não me acontece nada.
Enfim, eu não faço ideia do porque estou fazendo um post se não tem nada pra falar.
Mesmo assim, eu queria acrescentar que os últimos acontecimentos me fizeram MUITO bem, e eu realmente precisava de uma injeção de ânimo daquelas. Foi TUDO muito bom, as conversas, o show, as presenças, o filme, as fotos, e principalmente, a razão de tudo aquilo ter acontecido...EU! haha, mentira, a razão, óbviamente foi a minha (levíssima) paixão pelo senhor Fernando Cunha Filho. Afinal, sinceramente, se não fosse ele, naquele dia eu não teria nem saído de casa, porque não tinha mesmo nada pra fazer se não fosse o show.
Aaaaaan, é isso. Portanto, deixo MUITO evidente a minha alegria, e devido à isso, resolvi voltar com a minha antiga meta, o Violets Violents. Tentarei voltar a fazer de mim um instrumento de mim mesma, assim, criando uma nova Ana Carolina Silva, a antiga e alegre Carol.

Um beijão, até!

Aproveitar

Amanhã será um dia maravilhoso.
Será bom porque eu terei uma boa companhia.
Será bom porque eu cantarei, dançarei e aproveitarei.
Assim, será um dia completo.
E sim, eu vou aproveitar ao máximo tudo o que eu puder. E concerteza, vai ser a melhor ''sessão de descarrego'' que eu já hei de ter feito.