E tudo se vai.

Sabe, eu queria falar sobre alguma coisa, mas não sei. Só sei que eu ando sentindo umas coisas estranhas, talvez seja porque a minha melhor amiga vai embora. Tudo bem, eu já me acostumei com esse tipo de situação, primeiro a Nathalia, depois a Marcela, a Riari, a Jee (que eu quase não vejo), e agora a Talita. Mas é tudo pro bem dela, e o que realmente mais quero é que ela seja feliz sabe? Eu até acho que teria sido melhor ela nem ter saído de Minas um dia. Assim, tudo seria melhor pra mim no sentido de ter que ver mais uma pessoa ir. Infelizmente, a vida é traiçoeira, e quando você menos espera ela te tira alguma coisa. E eu que não dou valor... é, sou uma trouxa. É isso, eu precisava de alguém pra falar, que me entendesse, e a única maneira que achei foi escrever aqui. Eu sei que vocês não tem nada a ver com isso, mas eu tinha que escrever.
Há certas coisas que são difíceis de aceitar, mas é isso. Um cheiro, até qualquer dia desses.

Péssimo

Ultimamente eu ando usando demasiadamente a palavra PÉSSIMO. Mas do jeito que as coisas andam acontecendo, é péssimo ver que tudo isso tomou este caminho.
Não há nada específico, mas mesmo assim, acho muito chato o modo horrendo que alguns levam a vida.
Não é uma crítica, mas ainda assim, gostaria que as coisas mudassem.

1 Ano

Eu estava olhando agora, e percebi que o Quando Eu For Velha já tem mais de um ano!

De lá pra cá tanta coisa mudou, desde que eu excluí o Agenda da Carol...

Mas agora tá tudo indo MARAVILHOSAMENTE bem, e eu, sinceramente, não me arrependo de nada.

É isso. Talvez depois escreva algo mais elaborado pra essa data.

Amar sempre que for possível.

Há algum pouco tempo atrás, talvez um ou dois dias, tive um bom incentivo para dizer, e repetir quantas vezes for preciso que é necessário amar.
Que seja um um cachorro, um filho, um homem, uma mulher, um cd, uma música, um dia... Não importa o que seja, amemos todos sem nos importar com motivos ou consequencias.
Seremos felizes se fizermos a nossa felicidade, então, vamos fazer o coração bater de novo, okay? Nem que seja por um momento.

Tá, isso foi muito clichê, mas eu precisava falar.

Eternidade

Estava aqui eu e meus miolos a pensar. Eis que eu começo a ler alguma coisa que incrivelmente me tocou. E dizia assim: ''mesmo que o tempo passe, e que você me odeie, e que você me esqueça, eu terei eternamente comigo os momentos, os sorrisos e por fim, as nossas lágrimas''.
Não é que eu tenha um motivo, mas isso me lembrou TANTA coisa, que sinceramente eu fiquei meio frágil. Tanto que até resolvi nem escutar música por hoje.
E pensando nessa oração (no sentido gramático da palavra), vejo que um momento a gente nunca apaga. Sendo bom ou ruim, o momento fica pra sempre na memória.
Eu me importaria se você fosse embora, mas ficaria pra mim a lembrança de que nada foi em vão, e eu fui feliz enquanto pude. E se eu for embora, tenho certeza de que o mesmo acontecerá.
Não tenho medo do destino, afinal, ele já me reservou tanta coisa boa, que eu não tenho nem porque reclamar. Então espero que esse mesmo destino faça com que você nunca mais se afaste.
Ou que eu tenha que me afastar de você. Mesmo que eu tenha que morar na favela, em outra cidade ou na Itália (meu maior sonho desde muito tempo atrás), eu não vou deixar escapar de mim cada sorriso nosso. E me lembrarei eternamente o quanto eu fui feliz, o quanto isso me fez bem e o quão bom é lembrar que você existe.
E o você citado aqui, não é um você exclusivo pra só uma pessoa. É um VOCÊ pra você, que um dia me fez sorrir, mesmo sem saber, que me fez chorar de alegria mesmo sem querer, e que me fez ser feliz, sendo feliz também.