28 do dois.

Amigo que é amigo nunca deixa o outro na mão.
Amigo que é amigo ama incondicionalmente.
Amigo que é amigo ri da falha alheia antes de ajudar a consertar.
Amigo que é amigo é pra sempre.
Amigo. Simples palavra. Baita significado.

Mas por que estou eu aqui adorando tal gênero de ser?
Porque hoje, exatamente hoje é dia de relembrar!
Não, hoje não é dia do amigo.. Na realidade, hoje é apenas um aniversário.
Mais um aniversário de mais uma pessoa qualquer. Pra você.

Pra mim, vinte e oito de fevereiro tem um significado bem maior do que só a data.
Hoje é dia de agradecer ainda mais, de dar ainda mais valor à pessoa.
E é por isso que eu agradeço.

Obrigada Talita Loyola.
Obrigada por ter feito de mim uma pessoa melhor.
Obrigada por me aguentar com suma paciência,
por me fazer rir na tristeza, por me fazer chorar de rir na alegria.
Já que amigo que é amigo nunca deixa na mão, eu não vou deixar-lhe, tenha certeza.
Terás ainda que ouvir meus lamentos por muitos e muito anos.
Não será fácil.

TMBL, normalmente quando alguém faz aniversário, vêm aqueles cumprimentos graciosos.
Como eu não sou disso, e você bem sabe que não vou te ligar, achei de bom grado dar-lhe apenas os parabéns.

Vida contraditória.

Tudo acontecendo, e eu não faço ideia do porque.

Estou aqui para retratar a minha contradição.
Contradição, bipolaridade, inconstância. É assim, bem dessa forma que eu ando vivendo.
Acordo duma maneira, passo o dia de outra e vou dormir exatamente da maneira oposta de como acordei.
Hoje, por exemplo. Acordei péssima, me sentindo um lixo. Chorei, desabafei com o cachorro. Aliviei um pouco da tensão na academia, mas ainda assim não foi o suficiente. Acendi uma vela e um incenso, mais uma vez. Desabafei com o ex (sim, com o ex). Ganhei um abraço. Melhorei. Ainda um pouco desgostosa da vida fui pra escola. Meu olhar parecia longe, muito distante, todos me disseram isso. Me pelidaram de Marilyn Monroe. Soube de uma conversa. Arrasei um coração. Fui ao céu. Dormirei com o ego inchado de tanta satisfação.

Ainda assim, não sei como eu consigo me entender. Acabo por conciliar a loucura com a paixão.

Papo de amigo?

- E você e ela, como estão?
-Ah, ela não quer nada comigo. -diz ele, desolado.
-Mas você tá na dela?
-Acho que sim, estou mais na dela do que ela na minha.
-Então fica só na amizade?
-É, creio que sim. Mas eu ainda fico louco com aqueles olhos verdes olhando pra mim, e com aquelas ondas do cabelo dela.
-É, realmente. Ela é linda!
-Eu que o diga. 


*Equívoco seu. Meus olhos são mel, e não verdes como disseste. 

Adore.

Espiritualizada inteiramente em magia.
Não sei ser diferente, pensar diferente ou estar diferente.
A minha natureza sempre foi complicada demais. E todos sempre souberam disso.
Sou problemática de mais para o entendimento humano, sou problemática de menos pra procurar um psicólogo.

Não me julgo inconsequente e/ou inconstante. Meu problema é só a impaciência, eu não sei esperar. Nunca saberei. E sabem o que é pior nisso tudo? Isso afeta diretamente quem não tem nada a ver com a minha estranha loucura.

Problema meu. Quer deixar? Deixe. Será sempre assim.

Eu falo comigo, com o meu interior. Pareço.

E como já declamou o grande poeta:
"Alucina o animal em mim
Que vive e ferve nesse ritual."

Ursus maritimus

"Eu sou o que ninguém nunca quis ser. 
Sou o urso perdido na mata, procurando refúgio na calada da noite.
Tento me proteger do predador maior que eu: o medo. 
Medo de me perder no escuro das trilhas,
de não conseguir viver até a luz do dia me iluminar. 
Sou um urso vazio que deve muito aos homens. 
Sou o urso que comeu a única fonte de alimento dos esquimós. 
Sou o urso que nunca vai conseguir encontrar o atalho para uma caverna quente e aconchegante. 
Sou um urso cego.
Cego pelo povo. Cego pela vida. Cego pelo amor."




Eu só queria entender o porquê de eu ter escrito isso no auge dos meus 13 anos. Não faz sentido, nunca fez.