Restart.

Eu não sei nem como começar. Dessa vez não sei se sou eu ou se é o meu alter-ego que aqui vos fala. Ainda assim, começo:

Por muitas vezes aqui, quando contei sobre as minhas desventuras vividas, citei a necessidade de um psicólogo. Sim, um psicólogo. Achava que falando as minhas histórias pra alguém de verdade (não que vocês, meus caros leitores sejam de mentira) eu melhoraria. Bem, eis que eu fui. E odiei. Por muitos motivos, mas o maior deles foi não ter me sentido confortável naquela situação.
Depois deste episódio vergonhoso, julgo eu, parei para medir as minhas atitudes e tive um insight que me fez mudar. Sim, mudar, por que não?!
Hoje, me sinto muito melhor. Nunca mais voltei ao psicólogo, mas acho que tal experiência me fez bem. Agora estou realmente fazendo o que deveria ter feito desde sempre, me esforçando para conseguir o que quero, expressando-me melhor, vivendo.
Nos últimos dias ocorreram coisas terríveis, e eu deveria estar lamentando-me, morrendo lentamente. Mas não, estou aqui firme e forte e com um belo sorriso de orelha a orelha.
A vida nunca vai ser fácil, e nem pode ser, mas não é porque encontramos dificuldades que vamos desistir no primeiro obstáculo.
Eu aprendi que só é possível melhorar quando se admite o erro.