Eu não sei quem eu sou.

Isto está sendo escrito de todo o coração. Mais do que de toda outra vez.
É preciso que isso aconteça.
É preciso abrir o mar e deixar que isso passe.

Não há explicação plausível para o que está acontecendo exatamente agora.
Eu estava muito bem, tive um dia extremamente agradável.
De algumas horas pra cá, de um modo inexplicável, as coisas se tornaram um furacão.
Internamente, apenas.

Eis que são duas da manhã, eu estou me sentindo como um nada, uma folha caída no outono, no meio de tantas outras.
Não haveria explicação lógica. Aliás, não há.
Eu só estou escrevendo porque preciso dizer para alguém.

Preciso dizer algo que eu não sei o que é.
Não sei o que se passa dentro de mim.
Há uma mistura angustiante de tantas coisas ao mesmo tempo, que eu não sei identificar nenhuma delas.
As minhas lágrimas sem sentido parecem fazer tanto sentido, mas eu não sei porque.

Não sei porque de uma hora pra outra eu fiquei assim.
Não é transtorno bipolar, ou talvez seria?
Ah, eu preciso mesmo de um psicólogo, droga!
Mas isso não é a solução do meu problema, porque nem ao menos eu sei qual é o meu problema.

Eu espero de verdade que este texto não faço sentido
Eu o escrevo praticamente com os olhos fechados
Aqui só tem o meu coração. Confuso demais para saber o que se passa.

Neste instante eu sou o ser humano menos humano que há
Mal posso lidar com as minhas próprias emoções!
Eu já nem sei o quanto escrevi, e faz pouquíssimo tempo que parei para fazer isso.

Eu parei por alguns instantes e chorei.
Chorei como se nunca tivesse feito isso na vida.
Parecia ter parado, mas assim que comecei a escrever aqui, meu pranto voltou.
Eu não me importo mais com ele.

Meus olhos inchados são reflexo da minha alma
Que nem sabe porque está aqui, porque está assim.
Eu sei que daqui a pouco quando eu apagar a luz para tentar ir dormir, vou cair em lágrimas mais uma vez.
Mas não sei o porquê.
Não sei.

Eu só queria saber porque isso acontece.
E eu já nem me importo mais se o porque é junto ou separado, porque eu já nem sei mais o por quê.
Talvez todos os usos dele aqui estejam errados.
Mas errada também estou.
Ou estou certa.
Já não sei.
Não sei.

















The same old tragedy.

Este é o anúncio oficial para mim mesma de que "A Série do Desencanto" acabou. Definitivamente.

Os motivos que a geraram ainda estão vivos, mas abafados por um afago e uma nuvens de rosas. 
Não há alguém no mundo melhor para dizer que a vida nos dá motivos para sorrir e para chorar.
Não chorei uma vez por você, não que eu me lembre. Pretendo só sorrir.

Isso não quer dizer que eu ainda não tenha palpitações quando penso em ti, e nem que eu não hesitaria em dizer sim se você voltasse. 
Mas o destino é uma roda que está em plena rotação. E eu não posso parar.


Obrigada por tudo. Acabou.