O céu

Hoje foi um daqueles dias em que você termina se perguntando se ele vai acontecer novamente.
Eu já deveria estar dormindo mas estou devaneando sobre o que aconteceu.
É sempre tudo tão lindo e tão maravilhoso, mas hoje foi um pouco mais. Hoje mereceu um texto.

Hoje foi a mistura da saudade com os anseios pelo futuro, foi a vontade e o desejo transformados em longos e intensos beijos, foram os sorrisos infinitos deixando minha mandíbula trêmula, os abraços dignos de quebrar uma das minhas costelas (ou todas).

Hoje foi a comprovação do que até então era um indício. Foi sentir o meu corpo cada vez mais pertencente ao seu, foi perceber o quanto nós somos parecidos, foi sentir meu coração palpitar e ser preenchido de paixão, foi ver o quanto eu era incompleta até você aparecer.

Hoje o céu estava tão belo. Eu pude ver a lua, com um brilho tão cintilante assim como ficam os seus olhos ao me ver. Nós aprendemos que a Lua é o satélite natural da Terra. Eu aprendi que eu sou a Terra e você é a Lua. Ou melhor, eu sou a galáxia. E eu nem sei se é possível uma galáxia ser orbitada por satélites, mas com você o impossível passa a ser uma possibilidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

E então, o que me diz?